AGORA TEM FRETE GRÁTIS compras acima de R$ 200 (SP).
SEDA A R$ 0,99! todo mês uma marca diferente.

Fone: (11) 3586-4310    

FALE CONOSCO

0Item(s)

Nenhum produto no carrinho.

Product was successfully added to your shopping cart.

“Os Simpsons” já sabiam da legalização da Cannabis no Canadá

 

As infinitas temporadas de “Os Simpsons” – já são 30! – possuem uma série de peculiaridades. Quem nunca passou uma tarde ou noite fazendo uma fumaça e chorando de rir com as trapalhadas de Homer e sua família?

 

Além de divertirem os fãs com uma boa dose de humor ácido e teor político, os episódios também costumam ser lembrados por fazerem previsões históricas. E a última descoberta foi sobre a legalização da Cannabis recreativa no Canadá.

 

Exibido em 2005, o episódio Midnight Rx, da 16ª temporada, mostra Homer Simpson tentando contrabandear remédios mais baratos da cidade de Manitoba, no Canadá. Durante uma de suas viagens para “fazer muamba”, ele recebe um cigarro de Cannabis e é tranquilizado por um nativo. Segundo o canadense, a planta já estava legalizada em seu país.

 

Além da liberação do uso recreativo de Cannabis, “Os Simpsons” também já previram a eleição de Donald Trump, a invenção de impressoras 3D e a contaminação em massa pelo vírus ebola.

Vale pedir para os roteiristas criarem um episódio em que a Cannabis está legalizada no Brasil? Não custa tentar!

05/04/2019 17:43 By King Bong simpsons, maconha, legalize,

Vai para os EUA? Conheça o museu da Cannabis, em Las Vegas

Inaugurada em setembro do ano passado, uma nova atração está disponível aos que quiserem se aventurar por Las Vegas. O Cannabition é um museu sobre cultura canábica, o qual promete levar informação, diversão e uma incrível experiência estética ao público.

As exposições terão o objetivo de desmistificar a planta, que ainda é tabu em muitos lugares do mundo e do próprio Estados Unidos.

“Nosso objetivo é que, quando as pessoas saiam daqui, não temam a indústria de Cannabis”, afirmou o fundador J.J. Walker. “Cannabition não é apenas para servir às pessoas que gostam de Cannabis, é para servir às massas que querem aprender sobre Cannabis ou apenas querem se divertir e ter uma boa experiência artística”.

Durante a visitação, é possível caminhar por 12 instalações com salas temáticas. Na sala “semente”, as pessoas podem deitar numa cama em forma de semente de canábica, enquanto a “cultura” exibe plantas artificiais com luzes simulando uma unidade de cultivo interno de Cannabis.

De acordo com a legislação do estado de Nevada, que não permite o uso de Cannabis em locais de circulação pública, os visitantes não poderão fumar a planta no local.

Está em dúvida sobre o destino para a “viagem da vida”? Vá para Las Vegas, conheça o Cannabition e, de quebra, divirta-se em alguns cassinos.

Meu filho usa Cannabis. E agora?

 

Uma das mais graves “infrações” que um jovem pode cometer é consumir Cannabis. Várias artimanhas são desenvolvidas para ocultar as “provas do crime”, como os itens de preparação dos cigarros, o cheiro peculiar e a vermelhidão dos olhos. Mas a “máscara” pode cair a qualquer momento: o que fazer quando se descobre que seu filho “fuma maconha”?

As questões legais são um ponto importante a se pensar. Afinal de contas, no Brasil, a criminalização da planta ocasiona um problema de segurança aos consumidores de Cannabis. No entanto, as discussões acabam não sendo levadas por esse viés.

Provavelmente, a vergonha é o mais forte sentimento que os pais têm quando descobrem o segredo do filho. Pouco importa se o jovem foi abordado pela polícia, por exemplo, correndo algum risco legal. “Como eu vou explicar isso para as outras pessoas da família?”, pensam, em crise, pai e mãe.

Nesse sentido, o debate acaba sendo levado por uma perspectiva moral. O fato de a Cannabis ser criminalizada não é a principal questão – outros crimes cometidos por pessoas da família, como sonegar impostos, costumam ser mais bem aceitos. Consumir a planta é entendido como um desvio moral, uma intervenção de “forças sombrias” sobre essas pessoas.

Vale questionar: se não mata e, inclusive, tem uma série de propriedades medicinais, por que a “maconha” é tão temida? Por que é tão pior que o álcool e o cigarro?

A resposta para essa isso está em questões históricas. O tabu foi construído sobre interesses econômicos, por exemplo, na medida em que os senhores de escravos acreditavam que a Cannabis prejudicava o desempenho dos escravos nas lavouras.

Pode-se falar também, por exemplo, no fato de a planta estimular o pensamento e a criatividade. Para o status quo, pessoas com ideias “revolucionárias” podem ser uma ameaça.

 

Desconstruir um tabu histórico, no entanto, não é tarefa simples. Uma ideia que se fortaleceu durante séculos ainda vai demorar a ser derrubada. Quando um consumidor de Cannabis é descoberto e entra em conflito com seus pais e familiares, a única forma de solucionar essa situação é que ambas as partes busquem conhecimento a respeito do tema e encontrem conexões entre si.

A resposta para esse problema só pode se dar numa via de mão dupla: paralelamente à desconstrução do tabu por parte dos pais, cabe aos filhos compreender que seus “velhos” viveram em outro tempo e precisam de paciência.

27/03/2019 12:01 By King Bong maconha, legaliza, ganja, crema, green, weed, smoking,

Jovens estão trocando “euforia” do álcool pelo “relaxamento” da Cannabis

 

Uma tendência que vem sendo observada é que os jovens têm substituído, em certa medida, o alcool pela canabis. O uso recreativo da planta tem força contra a bebida por conta dos efeitos colaterais mais brandos, por exemplo.

 

“Eu definitivamente gosto mais de Cannabis. É mais relaxante, eu não tenho que me preocupar sobre como agi na noite anterior e não tenho que lidar com ressacas ou vomitar na manhã seguinte”, disse Jena, de Illinois (EUA). Ela não quis revelar seu sobrenome porque o uso recreativo ainda não é permitido em seu estado.

 

De acordo com uma pesquisa de 2017 do Yahoo News, a maioria dos 55 milhões de consumidores da forma recreativa da Cannabis são nascidos neste milênio – os chamados millennials. Entre esses jovens, apenas 25% fumam sozinhos, número que revela o caráter social do uso, em detrimento de uma rotina individual.

 

Afeta o bolso

 

Jena também destacou o fator financeiro para justificar a preferência pela Cannabis, além de ter percebido que nem sequer aprecia o álcool. “Percebi que não gosto nada de beber e me custa mais dinheiro do que a Cannabis”.

 

Uma pesquisa nacional do Monitoring the Future com 50 mil jovens e adolescentes indicou uma queda no consumo diário de álcool entre estudantes universitários. O número caiu de 4,3% em 2006 para 2,2% em 2017 – em 1980, o valor era de 6,5%.

 

“Como uma geração, a geração do milênio tende a beber menos, mesmo antes de a legalização da Cannabis ganhar força”, disse Smoke Wallin, presidente da Vertical. “A mudança para cervejas artesanais e coquetéis, assim como vinhos muito mais cedo, faz parte da cultura milenar”.

 Aqui no Brasil não tem sido diferente, apesar de ser ilegal em todo o território nacional, o Brasil é um dos maiores consumidores de canabis, e os usuários partilham do mesmo pensamento dos americanos, além de acabar saindo mais barato, os efeitos são menos agressivos e nocivos para o corpo e mente.

A ingestão de alcool está entre as principais causas de morte entre os jovens de 15 a 24 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, que lançou o resultado da pesquisa em 2017.

Brigas em bares e baladas também tem como principal causa a ingestão do alcool por parte dos consumidores.

Vale lembrar que vender ou oferecer bebida para menos de 18 anos pode resultar em multa ou reclusão de 2 a 4 anos.

Como escolher um bom dichavador? Pense num time de futebol. Uma grande equipe trabalha de forma compacta, com seus principais jogadores se aproximando uns dos outros para executarem as tramas contra a defesa adversária. Também é importante que os atletas estejam bem fisicamente e que o treinador tenha um bom banco de reservas. Ainda não entendeu aonde queremos chegar? Vamos explicar.

Um bom dichavador, para começar a conversa, precisa ter os “dentes” de corte bem próximos uns dos outros. Isso vai garantir que o seu fumo fique bem triturado, evitando aquela famosa “jacarezada” na hora da queima.

Sobre a parte física? Bom, assim como os jogadores de futebol, os “dentes” do dichavador precisam ser fortes, produzidos em material resistente. Caso contrário, prepare-se para ficar “banguela” por causa daquele prensado mais duro que pedra.

A brincadeira com os “reservas” se deve ao reservatório que alguns trituradores possuem, algo que pode servir para transportar mais fumo ou então para guardar as sobras do cigarro que você está enrolando. Melhor do que deixar no bolso ou jogado na mochila, né?

Agora que você já aprendeu, dá uma olhada no nosso site e escolha o que melhor se encaixa no seu rolê!

06/03/2019 17:43 By King Bong dichavador, maconha, bem bolado, the bulldog, legalização,

A hora de renovar o seu bong é agora

Não precisa esperar até 16h20. Será que não tá na hora de trocar o seu bong? Ele pode ter sido um bravo guerreiro até o momento, suportado vários rolês, quedas e experimentos doidos.Mas se liga nessas promoções.

Bong de vidro com suporte para gelo, percolator em vidro colorido e tubo downstem e bowl em peça única. Mais uma obra de arte King Bong, feito por nossos artistas em SP. Perfeito para uso diário.

de  R$179,95

por R$159,95

Bong de silicone multi-uso portátil Fat Flex. Em formato de barril e feito com silicone de alta qualidade, o Fat Flex dura muito mais que qualquer bong de outro material. Fácil de limpar e com um excelente custo benefício. Acompanha tubo downstem de vidro e bowl de vidro para ervas.

de R$179,95

por R$129,95

 

Novo e maravilhoso bong da nova coleção da Squadafum, fabricado com vidro borosilicato alemão de alta qualidade, podendo ser ultilizado muito bem como oil-bong também. Em seu interior, possui um Filtro Percolator em arte de vidro branco/preto. Bocal de cor branca/preta.

de R$479,90

por R$399,95

28/02/2019 10:56 By King Bong bong, bongs, bongada, maconha, marijuana, ganja, legalização,

Cientistas capturam imagens microscópicas de Cannabis

THC, tricomas e outros componentes podem ser observados

 

Para quebrar os tabus a respeito da Cannabis, nada melhor do que conhecê-la a fundo, não é mesmo? Pois os cientistas do Instituto de Tecnologia de Rochester, nos Estados Unidos, levaram essa tarefa “ao pé da letra”. Eles fotografaram a planta microscopicamente, sendo possível visualizar o THC, os tricomas e outras partes canábicas.

 

A missão foi cumprida graças a uma câmera de vácuo utilizando um scanner de computador. Apesar de cada imagem precisar de apenas 4 minutos para ser gravada, a preparação das amostras demorou horas. Isso porque foi necessário deixar a planta secar completamente, evitando, assim, que o vapor d’água obstruisse as imagens.

 

“Eu gosto de pensar no que uma pessoa veria se tivesse apenas alguns mícrons de altura”, afirmou o professor Ted Kinsman, que pintou o THC com um cor brilhante para que pudesse ser facilmente visualizado. “Estou tentando tornar a ciência visualmente atraente para a população”.

Veja algumas das impressionantes imagens captadas por Ted Kinsman 

Folha jovem de Cannabis

Folha jovem de Cannabis

Longos tricomas, que protegem o lado interior da Cannabis

Semente de Cannabis germinada

Semente de Cannabis após três dias de incubação

20/02/2019 17:07 By King Bong ciência, cientista, cannabis, maconha, ganja, legalização,

74 anos de Bob Marley: por que o mundo teve que “engolir” o rei do reggae?

No mês de fevereiro, o rei do reggae completaria 74 anos de vida. Dizer que ele ainda vive pode parecer clichê, mas muitos de nossos leitores vão entender o que estamos dizendo. Bob Marley é o mais poderoso símbolo pela legalização da Cannabis.

Paz, amor e respeito entre os povos sempre foram associados por ele ao consumo da planta, potencializando suas canções com mensagens inspiradoras. E foi assim que ele ganhou o mundo.

Grande ativista e consumidor declarado da planta, Marley chegou a ser preso em 1968 e 1977 por porte de Cannabis. Apesar de estigmatizado, o jamaicano conquistou o mundo com reivindicações simples. Em períodos de guerras civis, a importância de suas mensagens fica evidente.

Antes do estrelato, Bob foi um jovem “vidente”. Ele tinha uma habilidade em ler mãos, acertando em várias previsões. Pessoas de fora de Kingston, sua cidade, chegavam a visitar o local para conhecer o “sábio”.

Marley Natural

Você sabia que Bob Marley criou uma marca de Cannabis? E isso aconteceu quando o mercado canábico era ainda “só mato” – com o perdão do trocadilho! Antes dos negócios milionários da planta, ele idealizou a Marley Natural, uma fabricante de produtos à base de Cannabis que foi lançada oficialmente em 2016 e garante a maior parte dos lucros de direito de imagem para a família do cantor.

Se nas décadas de 70 e 80 o mundo já se rendeu a Bob Marley, sua importância para a crescente legalização da Cannabis pelo mundo deve estar sendo mais sentida agora. Viva o rei do reggae.

14/02/2019 16:24 By King Bong bob marley, ganja, maconha, erva, legalização, raggae, rasta,

Tudo bem, todo mundo já precisou recorrer ao “sedanapo” pra poder enrolar um fuminho. Com um pedacinho daquele papel “mais durinho” também dá pra improvisar a piteira. Mas nada melhor do que se garantir e não precisar mendigar com a galera, concorda?

 

Aproveite pra garantir seu kit de Carnaval. Compre um case legal, aposenta aquela sacola podre que você usa pra guardar seus itens de fumo e que acaba misturando e estragando as coisas. Compre uma seda “zero bala” e um joguinho de piteira pra evitar rasgar a embalagem do papel. E um isqueiro. Você vai precisar de um isqueiro – a chance de terminar a folia sem perdê-lo é minúscula, mas você precisa de um.

 

Tá na preguiça de escolher os itens pro seu kit? Não conhece direito as marcas ou então fica perdido com tantas boas opções? Pode ficar tranquilo, fizemos uma seleção aqui pra você poder levar seu kit sem pensar muito. Só não fica lesando, compre logo porque o Carnaval tá aí!

Kit One Love

Kit Folia

Kit Fantasia Lion Rolling Circus

AH! Kits a partir de R$19,90, não perde essa

Vaporizador para Maconha

Apesar de ser ilegal no país, isso não impede dos adeptos à canabis de saírem por aí fumando um.

Porém, ainda sofrem o risco de enquadro e prisão, então para evitar situações como essas, muitos usuários tem optado por serem mais discretos ao exalar cheiro e fumaça, partindo assim para o vaporizador.

O vaporizador é uma novidade em ascensão principalmente entre os jovens e não só entre os que fumam maconha, pois há dois tipos de vaporizadores: Ervas Secas e Oleo.

Não necessariamente  o usuário precisa consumir maconha, para os vaporizadores de óleo, existem os Juices, que são essências liquidas com ou sem tabaco, de diversos sabores.

No caso do vape para óleo, é possível colocar o olho do thc ao invés de juices, porém se atente ao cheiro e se o vape é adequado para a sua necessidade (principalmente se for evitar odor.)

A versão de Ervas Secas como o nome já diz serve para aqueles que preferem ingerir ervas em geral, aquecendo a temperatura e liberando seus componentes ativos, porém por apenas ser aquecidas e não queimadas, evitando a liberação de partículas toxicas como alcatrão, benzeno, tolueno, naftaleno, etc.

Sensação de fumar num vaporizador

As opiniões são bem divididas a respeito, algumas pessoas não se sentem confortáveis em não sentir o contato com a erva, outras dizem sentir a falta do gosto original e outras ainda dizem sentir menos brisa.

Por outro lado os adeptos dizem que o uso se torna muito mais discreto e muitas vezes imperceptível, por não exalar muita fumaça ou cheiro.

Infelizmente não é possível manter o gosto da ganja enquanto tenta amenizar seu odor, mas é uma boa alternativa para usar em locais públicos e evitar problemas.

Os preços podem variar de acordo com a marca e o tipo, ervas e Juices você pode encontrar em tabacarias, já a crema deve ficar por sua conta e risco.

06/02/2019 13:50 By King Bong vaporizador, vape, maconha, ganja,